Servidores da CPRH deflagram estado de greve

O movimento paredista pode ser iniciado a qualquer momento pelos trabalhadores

Escrito por: Redação Sintape • Publicado em: 11/09/2017 - 11:35 Escrito por: Redação Sintape Publicado em: 11/09/2017 - 11:35

Diante do descaso do Governo do Estado com os inúmeros problemas que afetam a categoria e as condições precárias de trabalho, os servidores da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) decidiram, em assembleia nessa quarta-feira, 06, deflagrar estado de greve. O movimento paredista pode ser iniciado a qualquer momento pelos trabalhadores, caso continuem sem resposta do Executivo Estadual em relação à pauta de reivindicações.

A decisão não afetará por ora os serviços prestados, tampouco a jornada de trabalho realizada pelos servidores, mas eles esperam uma posição do governo estadual para evitar que a paralisação de fato aconteça e deixe a população prejudicada com a suspensão das atividades da Agência. Segundo o presidente do Sintape, Adailton Melo, os trabalhadores não podem continuar sendo desconsiderados e seus problemas esquecidos. “A categoria precisa de uma resposta. Precisa ser respeitada, e mais ainda, precisa ser ouvida. As reclamações são muitas, e o sindicato vai continuar na luta em defesa de todos”, revelou.

No mês passado, a categoria realizou várias mobilizações intituladas ‘Quintas de Agosto”, nas quais promoveram atos públicos, paralisações das atividades na CPRH todas quintas-feiras, assembleias, cafés da manhã de protesto, manifestação na Secretaria de Administração (SAD) e doação de sangue no Hemope. Todas tiveram o objetivo de sensibilizar o governo a abrir o canal de diálogo com os trabalhadores, sem reposição salarial há três anos.

Além do reajuste salarial, os servidores da CPRH exigem melhores condições de trabalho, investimento nas condições físicas das unidades de fiscalização, especialmente as do interior, realização de concurso público para repor o quadro defasado de profissionais, entre outras reivindicações. O Sintape já encaminhou vários ofícios à SAD e Semas, assim como também à administração da Agência (para intermediar o canal com o Governo), mas sem êxito. “Vamos intensificar o movimento e se a única saída for parar, é isso que faremos!”, avisou Adailton.

Sindicato forte depende da união da base!

Redação Sintape

Título: Servidores da CPRH deflagram estado de greve, Conteúdo: Diante do descaso do Governo do Estado com os inúmeros problemas que afetam a categoria e as condições precárias de trabalho, os servidores da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) decidiram, em assembleia nessa quarta-feira, 06, deflagrar estado de greve. O movimento paredista pode ser iniciado a qualquer momento pelos trabalhadores, caso continuem sem resposta do Executivo Estadual em relação à pauta de reivindicações. A decisão não afetará por ora os serviços prestados, tampouco a jornada de trabalho realizada pelos servidores, mas eles esperam uma posição do governo estadual para evitar que a paralisação de fato aconteça e deixe a população prejudicada com a suspensão das atividades da Agência. Segundo o presidente do Sintape, Adailton Melo, os trabalhadores não podem continuar sendo desconsiderados e seus problemas esquecidos. “A categoria precisa de uma resposta. Precisa ser respeitada, e mais ainda, precisa ser ouvida. As reclamações são muitas, e o sindicato vai continuar na luta em defesa de todos”, revelou. No mês passado, a categoria realizou várias mobilizações intituladas ‘Quintas de Agosto”, nas quais promoveram atos públicos, paralisações das atividades na CPRH todas quintas-feiras, assembleias, cafés da manhã de protesto, manifestação na Secretaria de Administração (SAD) e doação de sangue no Hemope. Todas tiveram o objetivo de sensibilizar o governo a abrir o canal de diálogo com os trabalhadores, sem reposição salarial há três anos. Além do reajuste salarial, os servidores da CPRH exigem melhores condições de trabalho, investimento nas condições físicas das unidades de fiscalização, especialmente as do interior, realização de concurso público para repor o quadro defasado de profissionais, entre outras reivindicações. O Sintape já encaminhou vários ofícios à SAD e Semas, assim como também à administração da Agência (para intermediar o canal com o Governo), mas sem êxito. “Vamos intensificar o movimento e se a única saída for parar, é isso que faremos!”, avisou Adailton. Sindicato forte depende da união da base! Redação Sintape



Informativo CUT PE

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.